Tag Archives: Jazz

Mathcore

22 nov

Mathcore é um gênero musical derivado do Metalcore que surgiu no início da década de 90 nos Estados Unidos.  É um estilo de Metalcore caótico, experimental, matemático, progressivo e de alto nível técnico. As músicas são geralmente cheias de discordância, muitos riffs técnicos, e estruturas complexas e geralmente com letras indecifráveis. Músicas tocadas por bandas de esse estilo podem variar de meros segundos até mais de 15 minutos e raramente demonstram uma estrutura de versos/refrões convencional. Estilos como Blues Rock e Free Jazz também inspiram bandas de Mathcore.

Protest The Hero banda de mathcore canadense, a melhor do gênero na minha opinião.

@_calokis777_


Perdidos na Net VI

5 nov

E aí pessoal, tudo certo? E como toda sexta, eu estou aqui pra apresentá-los a mais um Perdidos na Net, o lugar onde você vai achar uns músicos realmente bons, mas que nem tem o seu lugar ao Sol… Não que eu esteja falando mal dos atuais artistas… Mas temos que concordar que temos muitos talentos ainda não descobertos. Enfim.

E nessa sexta edição, temos Llyn Foulkes, o cara compôs um Jazz e escreveu a letra, até aí tudo bem, o mais legal é que foi em buzinas!! O trabalho foi gravado na “Church of Art” que fica em Los Angeles em 2009.

Sem mais enrolações, aí vai o video!

E aí, o que acharam do cara? Ele manda muito bem, não é não?!?

Enfim, é isso aí, até sexta que vem no próximo “Perdidos na Net”.

Enjoy.

Trilha Sonora : Crossroads _ A Encruzilhada ( 1986 )

17 out

O filme exalta as raízes da música,apreciando em cada cena, tesouros do blues. Conta a história de um prodígio guitarrista ( virtuoso), que aprendeu suas técnicas na tradicional universidade de música de sua cidade. Contudo, fascinado pela música negra, que ouvia em discos em seu quarto, o garoto (interpretado por Ralph Macchio , conhecido por seu papel em Karatê-Kid ( 1984 ) ), cria o desejo de querer resgatar o verdadeiro blues.

Ele acaba caindo na estrada com um velho gaitista, em busca de uma música lendária, a canção mais perfeita já escrita (produto da alma vendida de seu compositor, o bluesman Robert Johnson, ao diabo).

O próprio Steve Vai, ícone monstro da guitarra, oferta-se num duelo de guitarras com o jovem garoto, que aceita o combate diante ao próprio diabo, numa encruzilhada (mesma onde Robert vendera a sua alma). Todo o som que emana da guitarra de Macchio vem, na realidade, do mestre Ry Cooder (lendário guitarrista, que toca as músicas enquanto o ator as dubla na dedilhada).

O longa é um tributo às raízes do blues. Com a direção de Walter Hill e trilha do já citado Ry Cooder, o filme é um clássico Cult, que merece ser assistido por quem aprecia um bom filme e música de eterna qualidade.

O duelo entre o garoto e o diabo Steve Vai:

Trilha Sonora: The Wonders – O sonho não acabou (1996)

18 set

 

 

O filme norte-americano, de gênero musical, dirigido, produzido e atuado por Tom Hanks, conta a história de uma banda fictícia, ambientada na década de 60, a The Wonders; grupo a lá Beatles e tantas outras de mesmo gênero, que buscavam contagiar a juventude de uma época!

Trata-se de uma banda com um único sucesso, a baladinha “That Thing You Do“, que só conseguiu abertura para o auge, após, com a incursão de um “bateirista improvisado”, que proporcionou uma batida mais agitada de jazz à canção lenta, durante um show de talentos. Após essa apresentação, os garotos de EriePensilvânia, passam a gozar do sucesso tão almejado. Isso me faz lembrar da cena clássica do filme, onde Faye Dolan (personagem de Liv Tayler) ouve pela primeira vez a música da banda de seu namorado e vocalista Johnathon Schaech, tocar no rádio; assim ela segue correndo até a loja de eletrodomésticos, onde trabalha o novo baterista. Todos da banda acabam se encontrando, e a festa se torna inevitável… A vibe contagia quem assiste, como se a realização fosse mesmo real. Muito bom. Cena lendária! (opinião suspeita)!!*-*

O  One-hit wonderThat Thing You Do“, escrita e composta por Adam Schlesinger, baixista dos Fountains of Wayne e Ivy, e lançada na trilha sonora do filme, se tornou uma genuína parada de sucesso para The Wonders em 1996 (a música chegou a 41a no Billboard Hot 100, 22a no Adult Comtemporary, 18a no Adult Top 40, e 24a na Top 40 Mainstream). Além disso a trilha foi indicada para o Globo de Ouro de 1996 e para o Óscar de 1996 como Melhor Canção Original. Mike Viola dos The Candy Butchers fez o distinto vocal da gravação para os The Wonders.

Escolhi este filme, desta vez, devido ao fato de ter marcado muito minha memória, tendo o assistido uns quinquilhões de vezes… haha… Achei um ótimo filme, digno de nota! E aqui está!!!*-*

Fiquem ae,com o ”som” e hit do filme, That Thing You Do :

 

Trilha Sonora:O Poderoso Chefão (1973)

22 ago

 

  

 

O filme que trás a história e conglomerado de façanhas da família Corleone, além de arrancar ótimas críticas dos especialistas e arrecadar uma coleção de Oscar, Globos e demais prêmios, deixa em seu maior legado sua trilha sonora de primeira linha; canções que se casam, como Constanzia “Connie” Corleone, filha de Don  Vito Corleone, nas primeiras cenas. Canções, que a exemplo do tema principal do filme, do compositor Nino Rota, conseguiram arrancar dos acadêmicos do Globo de Ouro o prêmio de Melhor Trilha Sonora do Ano.

Poucos poderiam acreditar que um filme, com baixo orçamento _ cerca de 2,5 milhões de dólares pré estabelecidos_ , conseguiria ultrapassar a fama de seu roteiro inicial, o best seller homônimo de Mario Puzo (filmagem, alguns anos antes, recusada pela Paramount).

Sua trilha sonora, é mundialmente aclamada, e constantemente utilizada quando se deseja parodiar ou mesmo caracterizar a máfia italiana. Logo nos vem à cabeça a imagem de navios de imigrantes e os portos de parada, quando nos deparamos com o Jazz Napolitano e a melodia siciliana (caracterizada perfeitamente pelo solo do trompete, no tema principal) do filme.

Além deste primeiro filme, houveram continuações (O Poderoso Chefão 2 (1974) e O Poderoso Chefão 3 (1990) ) com sucessos equivalentes, e com trilhas muito regulares em relação ao filme de 1973, trazendo músicas emblemáticas napolitanas e a principal canção que seguiu o título desde o primeiro filme, de Nino Rota, conhecida como The Godfather Theme.

A seguir temos um vídeo da interpretação de Slash, guitarhero locão (a versão original é meio sonolenta) a esse grande clássico!

Contemplem com respeito ao Padrinho!!!”*-*