Arquivo | Jazz RSS feed for this section

Trilha Sonora: Patch Adams: O Amor é Contagioso (1998)

22 maio

Bom dia, pessoas queridas do SQP! Como estão por ai? Porque aqui estamos muito bem, como podem ver: endereço novinho em folha, mais curtinho, fácil de decorar… um luxo só! rsrsr. Estreando a nossa nova página com um filme baseado em fatos verídicos, indicado por nossa assídua expectadora @Nara_Aragao .

SINOPSE: Após uma tentativa de suicídio, Hunter “Patch” Adams, por conta própria, interna-se em um hospital psiquiátrico. Lá ele descobre que possui uma capacidade unica de ajudar os pacientes usando seu bom humor. Dois anos se passam e Patch começa a fazer medicina para colocar em prática sua forma excepcional de ajudar pessoas. Os alunos duvidavam de suas notas e julgam mal a forma com que Patch alegra os pacientes. Adams, então coloca em suas metas: transformar essa visão errônea de seus companheiros de salas, e mesmo do mundo, provando que o Amor é contagioso.

O filme tem um apelo significante, emocionante e conveniente aos corações duros. Com Robin Williams no papel principal, o tom pesado de filme conscientizador fica mais agradável e cômico, tornando a mensagem mais solúvel e gostosa. A imagem e os momentos de auto-observação presentes no Grand Movie é invejável, e o faz um ‘grande filme’. Embora, tenha duras críticas do Patch Adams original, de quem utilizaram a história, o longa continua sendo uma grande pedida pra sintonizar na Tv, com um chocolate quente e  um cobertor – ainda mais nesse friosinho! ^^

A trilha, que foi indicada pela academia do Oscar naquele ano, fica por conta do romântico Rod Stewart (minha mãe adora!^^) e o lendário mago  das cordas Eric Clapton. Espero que gostem e curtam a nossa nova fase Somqueprovoca! 

Rod Stewart – Faith in The Heart

Eric Clapton – Let it Rain

Good Vibes! *-*

Anúncios

Trilha Sonora: Cidade dos Anjos (1998)

1 maio

Bom dia a todos Provocados pelo Som!! Preparados pra mais uma trilha deveras boa?!^^ Então tá!

O filme de hoje é uma indicação da minha musa inspiradora (Nara Aragão) que assim como no post (Top Gun) tem uma música que significa muito pra nós! Cidade dos Anjos é a película. Com Nicolas Cage, cara que torna seus filmes únicos apenas por aparecer e Meg Ryan.

O romance é a peça chave do filme que mostra a história de um anjo (Nicolas) mandado para a Terra, com o intuito de proteger Los Angeles. Ele acaba se apaixonando pela linda mortal Maggie Rice (Meg Ryan), uma cirurgiã que passa por uma crise pessoal, por ter perdido um de seus pacientes. O amor pela mortal torna-se tão grande e incompreensível, que o anjo fica tentado a desistir da eternidade para viver alguns anos, porém os melhores, ao lado de seu amor.

O filme tem uma trilha sonora bem interessante de destrinchar, variando de Eric Clapton, Jimi Hendrix, a Alanis Morrissette e U2: If God Will Send His Angels – U2Uninvited – Alanis MorrissetteRed House – Jimi HendrixFurther On Up the Road – Eric Clapton e nosso ‘personagem principal’ Iris – Goo Goo Dolls (a canção especial), que vcs podem dar uma ouvida mais abaixo.

Iris – Goo Goo Dolls

Spoiler: Post do da semana que vem ===> 60 Segundos!!!

Good Vibes!!! *-*

Trilha Sonora: O Som do Coração (August Rush) (2007)

3 abr

Bom dia people, nosso Trilha de hoje vem de uma bela indicação do Gustavo Rabelo (Andarilho), que me mandou uns vídeos do filme O Som do Coração. Dei uma verificada, uma pesquisada e achei bem interessante e, além disso, achei que gostariam de partilhar comigo essa experiência.

SINOPSE: Evan é um garoto que foi criado num orfanato, ele é o resultado da paixão entre a violoncelista Lyla e o roqueiro Louis, que acabaram se separando devido as constantes investidas do pai de Lyla, desgostoso com o par de sua filha. Ambos seguiram caminhos distintos, sem mesmo atinarem se seu filho, Evan, estava bem. O garotinho, não deixando o sonho de reencontrar seus pais morrer, foge do orfanato, indo para Nova Iorque, onde, sondado por sua excelência musical e genialidade, recebe a ajuda do “Mago”, um empresário das calçadas de Nova Iorque.

Bom, ainda não tive oportunidade de assistir ao filme, contudo pela sinopse e pelos comentários, avaliações e demais especulações, acredito ser um filme de muita qualidade. A temática é boa, as músicas sem prescrição negativa, atores de renome como Robin Williams (vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por Gênio Indomável), Jonathan Rhys Meyers (da minissérie Elvis, onde interpreta o próprio Elvis Presley) e o jovem Freddie Highmore (do remake A Fantástica Fábrica de Chocolate). Enfim, a dica fica pra vocês fascinados por filmes e mais do que isso, desvairados por música.

Desculpem, mais uma vez, mas o vídeo a seguir só é possível ser assistido diretamente pelo Youtube, devido tramites autorais, portanto, dêem um duplo clique na telinha, vale a pena ^^

Garotinho Evan tocando de uma forma bem peculiar.


Good Vibes!!*-*

Ode Falsa à Música…

30 dez

 

                Estava aqui ouvindo umas músicas do Eric Clapton e me comoveu descobrir uma coisa: existem jovens que não o conhecem!Tudo bem, vá lá que ninguém é obrigado a conhecê-lo, porém uma juventude proliferadamente fã de modinhas coloridas,  e d’ efeitos de Auto-tune, bem que merecia uma boa instrução musical, não é mesmo ?^^

                Este post é específico á você que ainda não sabe se ouve Led Zeppelin ou Parangolé. A indecisão é uma coisa preocupante, ainda mais pra nossa desastrosa juventude (sem generalizações, obrigado_ não sou nada velho !hehe). Quando percebo a pouca relevância musical das bandinhas de hoje, e a compará-las as ‘tantas’ lendárias do passado, me dá um aperto…A qualidade das canções foram da própria música para as roupas, estilos de cabelo ou mesmo gírias marotas de adolescente imbecilóides!Sim, o atrativo da internet e as possibilidades de qualquer coisa a qualquer momento é certo responsável por isso, tão menos , o único ou o maior entre eles.

                A necessidade de marcar uma época, nessa premência que vicia a música e as cabecinhas até então imaculadas, descarrega toda essa pressão sobre suas costas, e a pressão leva ao erro.Não quero dizer apenas que as modinhas e demais incursões musicais de hoje são uma total desgraça, contudo, não só eu, mas muita gente, sabe que é o prelúdio de reações e expressões ainda piores.

                Portanto, deixo vocês com breves dicas, que vêem do fundo do meu coração, tentando agradar e presenteá-los neste fim de ano, com coisa boa (ao meu ver, é claro. Porque nada disse senão as minhas opiniões)!!*-*

 

Rock Progressivo: Rush, 14 Bis (brasileira), Apocalypse , Yes.

Jazz: Les Paul, Django Reinhardt, Milton Banana Trio, Herbie Hancock

MPB: Chico Buarque, Teatro Mágico, Adoniran Barbosa, Nô Stopa, Osvaldo Montenegro, Tom Jobim, Raul Seixas, Almir Sater

Folk: Bob Dylan

Clássicos do Rock: Jimi Hendrix, Eric Clapton, Eric Johnson, AC/DC, Van Halen, Scorpions, Whitesnake, Queen, Led Zeppelin…

 

                 São poucas dicas e se eu ficar aqui o dia passa, e como não ganho por hora ^^…Se gostaram das dicas e quiserem mais ou mesmo comentar ou desaprovar o post, o espaço está aberto a vocês ali em baixo (COMENTÁRIOS), até porque não sou nenhum perito em música, e sim, apenas, um apreciador!!!

 

 

Good Vibes!!*-*

 

No Olho da Rua: Samba-jazz em Profusão

14 dez

Dando umas voltas, em ótima companhia, no Centro Cultural de SP, encontrei uma preciosa expressão musical; um quarteto denominado No Olho da Rua, que faz interpretações musicais no estilo Samba – jazz (fusão entre o samba e o jazz, criada nos anos 1960). A música que passa por seu corpo e remete aos ouvidos sonoridade única, é presença constante nas canções deste grupo.

A princípio, o convite para ir assistir à apresentação dos caras, me veio mais como uma chance de novas experiências, um entretenimento passional, do que mesmo, estar indo por entender do negócio…Porém, me senti muito confortável e apreensivo com as primeiras canções tocadas.Logo depois a música já entrava pelos ouvidos e ressonava deliberadamente, de uma forma boa, daquelas que você sabe só de ouvir, como o som de cachoeira, mar ou passarinho.Com um saxofonista magnificamente espevitado, um baterista ditando ritmo, um baixista mantendo a ordem e um pianista com mil mãos, o espetáculo não poderia ser diferente!

No Olho da Rua é um quarteto de samba-jazz que leva pro olho da rua, além de suas próprias composições, a música de Villa-Lobos, Ary Barroso, Pixinguinha, Tom Jobim… Músicas eternas, tocadas de forma moderna em uma celebração à música, ao povo e às ruas da Cidade Maravilhosa.

Desde março de 1997, o quarteto vem se apresentando pelas ruas da cidade. Inicialmente pela orla da Zona Sul do Rio de Janeiro: Leblon, Ipanema e Lagoa Rodrigo de Freitas e, posteriormente, pelas ruas e praças do Centro, bem como pelas Lonas Culturais de Bangu, Realengo, Vista Alegre e Campo Grande, em projetos da comunidade.”

Contando em sua formação com: Gustavo Schnaider (bateria); Leandro Freixo (piano); Paulo Rego (sax e flauta); Xandy Rocha (baixo), o No Olho da Rua alia a técnica de instrumentistas de primeira linha a arranjos modernos e a uma linguagem ímpar ao executar os sambas e bossas de seu repertório” _ Definição do próprio site dos caras.

Pra vocês terem uma idéia, o quarteto é tão bom que nem o ex-jogador de futebol americano, Terry Crews , famoso por sua participação como Julius Rock na série de tv Todo Mundo Odeia O Chris (Everybody Hates Chris), deixou de curtir a música, e se prostrou a dançar no meio do calçadão do RJ. Vejam no vídeo que segue, o episódio.A música é muito boa (ressaltando) ^^

Good Vibes!!!*-*